oração

Coração, oração e ação

Como servos de Deus, não podemos deixar de expressar nossos posicionamentos. Nesse período eleitoral, tenho visto algumas manifestações favoráveis e outras ainda contrárias a participação dos cristãos na esfera política. A disputa presidencial ganhou contornos de guerra. Tenho consciência que sozinho, não posso mudar nada e não tenho pretensão de criar animosidades e antipatias por conta de postagens ou compartilhamentos de informações. Sou inconformado com a injustiça e continuarei persistentemente protestando em defesa dos princípios pautados na Palavra de Deus, que deve ser a única regra de fé e prática do cristão.

voto-consciente

Sinceramente não consigo entender como pessoas dentro das igrejas ainda não querem debater ou discutir política. A neutralidade é perigosa, ficar em cima do muro é covardia e omissão é pecado. Engraçado que esse período, chamado de “Campanha Eleitoral”, é justamente o tempo de esforço concentrado, intenso, oportuno e legal para conhecer propostas dos candidatos e ideologias partidárias. Enquanto ativistas de minorias se articulam para aumentar representatividade na esfera política, irmãos ainda ficam preocupados e sugerem limitar compartilhamento de informações sobre política nas redes sociais.

Somos cidadãos do Reino, mas enquanto estivermos aqui nessa terra, devemos fazer diferença sendo sal e luz. Não concordo com a chamada “politicagem” dentro da igreja, no púlpito. Hora do Culto é momento de adoração e louvor ao único digno de receber honra e glória. Mas, creio ser perfeitamente possível, com equilíbrio e moderação, informar, instruir, orientar e esclarecer os irmãos sobre o processo eleitoral em outros momentos. Graças a Deus, consigo enxergar esse ano uma luz no fim do túnel. Algumas igrejas abriram suas portas para debates, discussões e palestras sobre a temática política. Isso já é um grande avanço.

Que Deus abençoe o Brasil e que o povo de Deus ore, faça jejum, derrame o coração mas que também deixe de lado a acomodação e insurja em defesa dos princípios e valores inegociáveis. Nossa fé precisa ser lúcida, equilibrada e coerente. Não sejamos negligentes e alienados políticos. Ter uma fé vibrante e participativa não é pecado. Não vamos desistir do Brasil! É hora de coração, oração e ação.

ABAIXO, destaco alguns vídeos interessantes. Por favor assista, sem compromisso, e reflita antes das eleições:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa, do Pr. Paschoal Piragine Jr, é fantástica e sempre atual: 

 

 

 

 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *